Friday, October 22, 2021

Bengo reduz índice de analfabetismo

Pelo menos 6.320 pessoas foram alfabetizadas, na província do Bengo, no período de 2016 a 2021, facto que contribuiu, significativamente, para a redução do elevado índice de pessoas que não sabem ler nem escrever, considerou a coordenadora local da Educação de Jovens e Adultos.

Ilda Simão destacou a implementação, no ano passado, do I Ciclo do Ensino de Adultos, que corresponde a três classes (7ª, 8ª e 9ª) ministradas em dois anos. No primeiro ano, os alfabetizandos frequentam a 7ª e a 8ª classes, para, no segundo, fazerem a 9ª classe.

A coordenadora avançou que o I Ciclo do Ensino de Adultos a nível do Bengo dispõe de um total de 136 professores, dos quais, foram seleccionados seis para assegurar as aulas nas turmas de aceleração escolar instaladas nos seis municípios.
Ilda Simão defendeu a necessidade do aumento do número de turmas do Programa de Aceleração Escolar, tendo em conta o grande número de alunos fora dos sistema de ensino.

Explicou que existem três módulos, sendo que o I corresponde à 1ª e 2ª classes, II à 3ª e 4ª classes e o III tem a ver com a 5ª e 6ª classes.

A partir desses módulos, referiu que se consegue enquadrar as idades e classes dos alunos adultos, com o ensino regular, uma vez que o Ministério da Educação trabalha na recuperação do atraso escolar.

“Isso não foge à realidade do subsistema de educação de jovens e adultos. Por exemplo, nas províncias onde estão a ser implementados projectos-piloto, como Malanje e Huambo, já arrancaram as aulas do II Ciclo do Ensino de Adultos”, revelou Ilda Simão.

A área da Educação de Jovens e Adultos da província controla 512 alunos, distribuídos em sete turmas, seis formadores do I Ciclo do Ensino de Adultos e quatro do Ensino Primário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *