Wednesday, May 18, 2022

Empresa dos Emirados Árabes Unidos pretende apoiar a criação de zonas francas

O presidente e director executivo da multinacional de logística dos Emirados Árabes Unidos DP World e Ports, Sultão Ahmed Bin Sulayem, manifestou, terça-feira (1), em Luanda, o interesse em apoiar Angola na criação de zonas francas no país.

Sultão Ahmed Bin Sulayem, considerado um dos principais empresários do Dubai neste ramo, falou da intenção à imprensa no termo da audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, na Cidade Alta. “Falámos da questão dos sistemas de tecnologia que podemos oferecer, mais, especificamente, dos estudos que estão a ser feitos na possibilidade de se criar zonas francas a nível do país”, realçou.

Zona Franca é uma área do país que se caracteriza por oferecer benefícios fiscais para as empresas ali instaladas. O principal objectivo é incentivar o desenvolvimento económico de uma determinada região.

Questionado sobre o valor que tenciona investir no país para o surgimento de zonas francas, o empresário disse que tal dependerá muito de onde serão localizadas, bem como o tipo de zona franca que se quer construir. “Relativamente a investimentos, a questão é que, quando se fala de zonas francas, isso dependerá muito de onde queremos construir. Só depois disso é que podemos traçar o orçamento”,esclareceu.

O empresário mostrou, igualmente, interesse em apoiar o país a tornar-se mais competitivo no sector de cargas e logísticas. “A ideia é facilitar os produtos que entram e saem de Angola, através das zonas fronteiriças”, frisou. Quanto à logística e tecnologia, disse que estão em formação muitos quadros angolanos.

Neste particular, referiu que foi reabilitada uma escola técnica no país, para a formação de técnicos nesta área de tecnologias. “Estamos bastante alegres em informar que os nossos trabalhadores são pessoas que trabalham arduamente e se adaptam facilmente às novas tecnologias”, salientou.

A concessionária dos Emirados Árabes Unidos DP World foi a vencedora do concurso público para gerir o Terminal Multiusos do Porto de Luan-da nos próximos 20 anos. O Sultão Ahmed Bin Sulayem referiu que o encontro serviu, também, para reportar os avanços alcançados nos últimos 11 meses de serviço em Luanda.  

Histórico da DP World

A DP World é uma empresa multinacional de logística com sede no Dubai, Emirados Árabes Unidos. É especializada em logística de cargas, operações de terminais portuários, serviços marítimos e zonas francas.

Formada em 2005 pela fusão da Dubai Ports Authority e Dubai Ports International, a DP World movimenta 70 milhões de containers, que são trazidos por cerca de 70 mil navios anualmente. Isso equivale a cerca de 10 por cento do tráfego global de containers representado por 82 terminais marítimos e terrestres presentes em mais de 40 países.

Até 2016, a DP World era principalmente uma operadora portuária global e, desde então, adquiriu outras em-presas na cadeia de valor. A Dubai Ports International (DPI) foi fundada em 1999. O primeiro projecto foi em Jeddah, na Arábia Saudita, colaborando com um parceiro local na gestão e operação do South Container Terminal (SCT).

A DPI então passou a desenvolver operações nos portos de Djibouti em 2000, Vizag, Índia em 2002 e Constanta, Roménia, em 2003.  Em Janeiro de 2005, a DPI adquiriu a CSX World Terminals (CSX WT). Foi mais tarde, em Setembro de 2005, que a Dubai Ports International se fundiu, oficialmente, com a Dubai Ports Authority para formar a DP World.

A rápida expansão através da aquisição continuou em Março de 2006, quando a DP World comprou a quarta maior operadora de portos do mundo, a P&O.

Leave a Reply

Your email address will not be published.