Estados Unidos mantêm apoio total ao Executivo

Angola recebeu dos Estados Unidos garantias de apoio às reformas implementadas pelo Presidente da República, no quadro da governação, e pelo seu engajamento no fortalecimento das relações existentes entre os dois países, durante o encontro de trabalho entre o ministro de Estado e chefe da Casa Militar do Presidente da República, Francisco Furtado, e o secretário de Defesa norte-americano, Lloyd Austin.

Os dois países assinaram uma Declaração Conjunta onde reafirmam o compromisso em fortalecer a cooperação bilateral no domínio da Defesa, dando continuidade ao Memorando de Entendimento de 17 de Maio de 2017, rubricado entre o Ministério da Defesa de Angola e o Departamento de Estado de Defesa dos Estados Unidos da América.

Angola, segundo a nota de imprensa a que este diário teve acesso, exprimiu o desejo de acolher, em Luanda, a 7ª Conferência Internacional sobre a Segurança Cibernética, tendo manifestado interesse numa maior envolvência do país na Bacia do Atlântico.

Durante as conversações, os Estados Unidos manifestaram o desejo de ver “Angola tornar-se o líder pan-africano de manutenção da paz”, em atenção a sua localização estratégica nas regiões da África Austral e Central e a liderança que tem exercido na região dos Grandes Lagos.

A nota de imprensa, destaca, ainda, que a Administração norte-americana manifestou total disponibilidade em apoiar o processo de modernização das Forças Armadas Angolanas (FAA).

O ministro de Estado e chefe da Casa Militar do Presidente da República e altos funcionários da Administração norte-americana reflectiram sobre uma série de tópicos, incluindo a segurança regional, cooperação no domínio de segurança, segurança cibernética, operações de manutenção da paz, estratégia de segurança nacional, formação militar e modernização das forças armadas, mudanças climáticas e o seu impacto sobre a segurança.

Francisco Furtado reuniu-se, também, com altos funcionários da Administração norte-americana, nomeadamente a subsecretária Adjunta de Defesa, Chidi Blyden, a subcretária Adjunta para os Assuntos de Segurança Internacional, Celeste Wallander, e o subsecretário adjunto de Defesa para Política dos Estados Unidos, Colin Kahl.

Leave a comment

Your email address will not be published.