Milhares de famílias beneficiam de apoio

Mais de 12 mil famílias em situação de vulnerabilidade, cadastradas no município do Luquembo, a 255 quilómetros a Sudeste de Malanje, começaram, sábado, a receber as primeiras rendas trimestrais, avaliadas em 25.500 kwanzas, cada, à luz do Programa de Fortalecimento da Protecção Social “Kwenda”.

As famílias foram cadastradas em 349 aldeias das seis comunas daquela circunscrição, nomeadamente Rimba, Capunda, Kimbango, Dombo-Azanga, Cunga Palanga e a sede.
No acto que marcou a abertura da cerimónia, o director provincial do Fundo de Apoio Social (FAS), Gomes Golambole, referiu que o processo de cadastramento das famílias no município do Luquembo, iniciado em Dezembro de 2020, só foi possível graças à envolvência de 78 jovens locais e 20 técnicos da instituição, que tudo fizeram para chegar às áreas mais recônditas. 

O responsável do FAS acrescentou que, além das transferências sociais monetárias, o Kwenda abrange a inclusão produtiva, que visa apoiar as iniciativas económicas das famílias residentes nos municípios assistidos, a componente da municipalização da Acção Social, através dos centros de Acção Social Integrados que servem para, entre outros fins, aproximar os cidadãos aos serviços essenciais, como registo de nascimento e civil, bem como intermediar conflitos de vária ordem dos munícipes.

O governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, que prestigiou o acto, referiu que os valores entregues não vão resolver na totalidade os problemas que as famílias enfrentam, mas “vão contribuir para minimizar os problemas”.  
Reconheceu os sacrifícios consentidos pelos técnicos envolvidos no processo de cadastramento das respectivas famílias, tendo em conta que, para atingir diferentes localidades, era necessário recorrer à bicicletas e outros meios.

A anciã Joana Pedro Sinduba foi uma das contempladas. Aos 68 anos de idade, Joana Sinduba disse que o dinheiro vai ser empregue na compra de enxada e catana para trabalhar no campo. “Não contava receber esse dinheiro tão cedo, esses valores vão ajudar a resolver parte dos meus problemas”. 

Outra anciã contemplada foi Florinda Zango. Disse que vive com três filhos e que só dependem do campo e, muitas vezes, não conseguem dar resposta a vários problemas, por falta de meios financeiros. “Com o dinheiro recebido, vou conseguir comprar sabão, óleo e tudo que me faz falta”, realçou. 

O município do Luquembo, que dista a 255 quilómetros a Sudeste de Malanje, é a décima primeira localidade do país a beneficiar do Kwenda, depois do Nzeto, Ombandja, Cuito Cuanavale, Quiculungo, Dembos, Andulo, Seles, Cacula, Quilenges e Cambundi-Catembo, nas províncias de Malanje, Zaire, Cuando Cubango, Bié, Cuanza-Sul e Huíla, respectivamente. De lembrar que a iniciativa está orçada em 450 milhões de dólares, dos quais 350 financiados pelo Banco Mundial e 100 pelo Fundo Soberano.

Leave a comment

Your email address will not be published.