Projectos sociais básicos decorrem em bom ritmo

Um total de 162 dos 265 projectos inscritos no Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza para o presente exercício económico foi executado e concluído na Lunda-Norte.

Os dados foram tornados públicos, no Dundo, pelo director da Unidade Técnica do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

Miguel Pereira, que falava, segunda-feira, à margem do encontro que a ministra da Acção Social,  Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, teve com membros do Governo Provincial da Lunda-Norte, incluindo administradores municipais e parceiros sociais, esclareceu que, até ao momento, a execução física dos projectos situa-se em mais de 80 por cento.

O director da Unidade Técnica do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza afirmou que as previsões apontam para Dezembro do corrente ano  a conclusão dos projectos em curso, nos dez municípios da Lunda-Norte.  

Explicou que os projectos concluídos estão ligados ao fomento da agricultura familiar, pecuária, empoderamento da mulher, com pequenos negócios, bem como apoio aos ex-militares e seus dependentes. 

Dos projectos em curso, destaque para os ligados aos cuidados primários de saúde,  cidadania, com incidência na atribuição de Bilhetes de Identidade a adultos e jovens que nunca tiveram documento, bem como registo de nascimento a menores de idade, segundo Miguel Pereira, tendo defendido maior acompanhamento e fiscalização da  execução financeira de todos os projectos. 

Miguel Pereira anunciou que as administrações municipais vão passar a dar  informações sobre a execução orçamental e financeira do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza numa plataforma informática, criada para facilitar o processo de prestação de contas, tratamento de dados, monitoria e avaliação periódica. 

Por seu turno, o administrador municipal de Xá-Muteba, Agostinho Paiva, acredita que a implementação do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza foi o ponto de partida para a resolução dos problemas das comunidades.

Agostinho Paiva reconheceu que, com o programa, tem sido possível a reintegração de ex-militares e respectivas famílias em acções produtivas, através de iniciativas de fomento do auto-emprego, com a atribuição de imputs agrícolas e cabeças de gado bovino.

“Foram entregues aos ex-militares kits compostos por sementes, fertilizantes, utensílios para lavrar a terra e cabeças de gado. Também adquirimos motorizadas de três rodas, para facilitar o escoamento dos produtos cultivados na região”, disse o administrador  municipal de Xá-Muteba.  

Leave a comment

Your email address will not be published.