Wednesday, May 18, 2022

Angola e França assinam acordo de cooperação com foco na mobilidade em Luanda

O ministro dos Transportes angolano e o director da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) para África rubricaram um acordo de cooperação para desenvolver o apoio e troca de experiências entre os dois países, para melhorar o sector.

De acordo um comunicado, a que a Lusa teve acesso, o projecto de cooperação, reflectido no acordo de cooperação tripartido, com financiamento do tesouro francês, visa mapear a organização institucional do sector e apoiar as entidades dos sectores público e privado dos transportes (prioritariamente urbanos), nomeadamente através de trocas de experiências com entidades homólogas. O acordo prevê igualmente preparar um ou vários projectos de melhoria e sustentabilidade do sistema de transportes urbanos em Luanda e um ‘benchmark’ de soluções de financiamento sustentáveis para o sector, bem como promover trocas de experiências com actores franceses do sector de gestão de transportes urbanos. A nota informa que o acordo vai contar também com o apoio da associação Codatu, instituição internacional, baseada em França, que promove mobilidade urbana sustentável em cidades e países em África, América Latina e Ásia. A associação será a operadora da cooperação técnica prevista na primeira componente com o Ministério dos Transportes de Angola. A Codatu vai focar a sua assistência técnica ao Ministério dos Transportes angolano na identificação e elaboração de projectos prioritários em Luanda, capital de Angola, nomeadamente realizar um estudo de diagnóstico do transporte e da mobilidade em Luanda e definir o seu perímetro geográfico exacto (cidade, província) com as autoridades. Organizar ‘workshops’ para apresentar os resultados do estudo, reunir as entidades locais do sector, desenhar o plano de acção de melhoria do sector, organizar encontros entre entidades locais e internacionais, disponibilizar um encarregado de cooperação sediado no Ministério dos Transportes que levará a cabo as diversas actividades, assim como um responsável de projecto (remoto) inclui ainda as actividades da Codatu. “A segunda componente financiará os estudos de preparação de projectos, bem como as assistências técnicas específicas para apoiar as autoridades e os intervenientes do sector”, lê-se na nota. Na cerimónia de assinatura do acordo por Ricardo de Abreu e Christian Yoka participaram também o embaixador da França em Angola, Daniel Vosgien, o conselheiro Económico da embaixada, Stephan Dubost, o diretor regional da AFD para a África, Bruno Deprince, e o director da AFD em Angola, Louis-Antoine Souchet.

Leave a Reply

Your email address will not be published.