Angola pode exportar primeiro carregamento de hidrogénio verde em 2024

O ministro Diamantino Azevedo apelou à Sonangol e seus parceiros que cumpram com o prometido e que, em 2024, aconteça a primeira exportação de hidrogénio verde para a Alemanha.

A Sonangol e as empresas alemãs Gauff e a Conjuncta assinaram, ontem, em Berlim, um Memorando de Entendimento para a materialização do projecto de Hidrogénio Verde, com os primeiros carregamentos previstos para aquele país europeu em 2024.
A assinatura do Memorando foi testemunhada pelo ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, diplomatas dos dois países e investidores.
Na ocasião, o ministro Diamantino Azevedo realçou que o projecto foi devidamente ponderado e estudado há mais de dois anos, de acordo com uma publicação do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás.
O governante apelou à Sonangol e seus parceiros que cumpram com o prometido e que, em 2024, aconteça a primeira exportação de hidrogénio verde para a Alemanha.
Sobre a cooperação entre Angola e Alemanha, Diamantino Azevedo sublinhou que “ o Governo de Angola não veio à procura de ajuda. Viemos estabelecer uma cooperação win-win, em que os dois Estados saiam beneficiados”.
Nas conversações foi vincado que Angola, apesar de produtor de hidrocarbonetos, é sensível às questões climáticas e ambientais.
O titular dos Recursos Minerais Petróleo e Gás deixou claro que o Governo angolano não tem intenção, a curto prazo, de abdicar do petróleo, já que, a par dos recursos minerais, é um pilar da transição energética.
“Vamos continuar a explorar e transformá-lo no nosso País, de forma sustentável e com respeito ao ambiente”, asseverou.

Leave a comment

Your email address will not be published.