Cabo Ledo, Sangano e Mussulo vão ser electrificados – Obra vai custar 85,9 milhões de euros e foi entregue por ajuste directo a empresa dos Emirados

Cabo ledo, Sangano e Mussulo, pólos turísticos importantes da província de Luanda, vão finalmente ser electrificados, tendo em consideração o despacho presidencial 164/22, que autoriza a despesa e formaliza a abertura do procedimento de contratação simplificada para a execução da empreitada, que prevê ainda a electrificação de Nzagi, na Lunda-Norte, Chinguar, no Bié, Catchiungo, no Huambo, Catofe, Ebo e Condé, no Kwanza-Sul.

O ajuste directo assinado pelo Presidente da República é no valor global de 85,9 milhões de euros e a obra foi entregue à empresa Mark Cables Fze, dos Emirados Árabes Unidos.
No documento, o Presidente da República aprova a minuta do contrato para a electrificação do Mussulo, Cabo Ledo e Sangano, Nzagi, Chinguar, Catchiungo, Catofe, Ebo e Condé, que contempla a construção de subestações e linhas de transporte associadas, redes de distribuição 30 kV e baixa tensão, ligações domiciliares e iluminação pública, uma obra a ser executada em 24 meses.
O Chefe de Estado determina a inserção do projecto de electrificação rural de âmbito nacional no OGE/PIP, considerando a estratégia «Angola 2025»> definida pelo Governo, bem como os objectivos traçados no «Plano de Acção do Sector de Energia e Águas 2018-2022»> para a expansão, acesso à energia eléctrica nas áreas urbanas, sedes municipais e áreas rurais.

Leave a comment

Your email address will not be published.