Wednesday, May 18, 2022

Manutenção da paz exaltada por ministro

A manutenção da paz e da estabilidade são elementos essenciais para o desenvolvimento económico, político e social do país, exortou, esta segunda-feira (4), o ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria.

João Ernesto dos Santos “Liberdade” falava aos jornalistas no içar da bandeira monumento no Museu de História Militar, em Luanda, e considerou um desafio de todos preservar a paz conquistada em 2002.

“Precisamos olhar para a frente e fazer o que não fizemos ao longo do período do conflito armado, pois o que ficou, ficou. Precisamos preparar as novas gerações para assegurar este feito, duramente, conquistado com sangue e suor de todos os angolanos”, sublinhou o governante.

 Bandeira monumento

A bandeira monumento içada ontem para assinalar os 20 anos de paz efectiva no país pesa 40 quilogramas, possui 18 metros de comprimento e 12 de largura, com um mastro de 75 metros de altura, podendo suportar ventos de até 200 quilómetros/hora, além de ser vista em todas as ruas da baixa de Luanda.

Foi hasteada pela primeira vez no Museu Nacional de História Militar, antiga Fortaleza de S. Miguel, num acto liderado pelo então Presidente da República, José Eduardo dos Santos, a 4 de Abril de 2013, e esse gesto acontece 12 vezes por ano.

Inaugurada no quadro das comemorações do 11º aniversário do 4 de Abril, dia consagrado à paz e à reconciliação nacional, a bandeira monumento é uma homenagem aos heróis da pátria e todos quantos se empenharam para o alcance da Independência Nacional, da paz, do progresso e do desenvolvimento de Angola.

Normalmente, é hasteada em efemérides como o 4 de Janeiro (Dia dos Mártires da Repressão Colonial na Baixa de Kassanje), 4 de Fevereiro (Início da Luta Armada de Libertação Nacional), 8 de Março (Dia Internacional da Mulher), 4 de Abril (Dia da Paz e da Reconciliação Nacional), 1 de Maio (Dia Internacional dos Trabalhadores) e a 25 de Maio (Dia de África).

Além destas ocasiões, ocorre também nos primeiros domingos de Julho, Agosto e Outubro, assim como a 17 de Setembro (Dia do Fundador da Nação e do Herói Nacional), a 11 de Novembro (Dia da Independência Nacional) e a 25 de Dezembro (Dia de Natal e da Família).

A infra-estrutura é constituída por um mastro de 75 metros de altura e 25 toneladas de peso, sob uma base de 1,5 metro de diâmetro. Foram consumidos cerca de 200 metros cúbicos de betão armado e no topo, de 30 centímetros, está incrustada uma luz de sinalização aeronáutica.

Possui duas cores dispostas em igual número de faixas horizontais: a superior é de cor vermelha-rubra (simboliza o sangue derramado pelos angolanos na repressão colonial, lutas colonial e de libertação nacional, defesa da pátria) e a inferior preta (continente africano). No centro, figura uma secção constituída por uma semi-roda dentada, símbolo dos trabalhadores e da produção industrial, uma catana, em homenagem aos camponeses, a produção agrícola e a luta armada. Por fim, uma estrela, em representação da solidariedade internacional e do progresso.

Leave a Reply

Your email address will not be published.