Novo Aeroporto Internacional de Luanda prevê iniciar operações no próximo ano

O Presidente da Republica visitou, este sábado (9), as obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda, na zona do Bom Jesus, município de Icolo e Bengo, em Luanda, projectado para receber 15 milhões de passageiros/ano, que deve estar concluído no primeiro trimestre do próximo ano.

João Lourenço percorreu área por área do projecto, em cerca de quatro horas, numa extensão de 1.324 hectares. Antes de iniciar a visita, reuniu, a porta fechada, com responsáveis da construtora, na presença de membros do Executivo, incluindo a governadora de Luanda, que acompanham o Chefe de Estado na sua jornada de trabalho no futuro aeroporto.

A seguir, o Presidente João Lourenço assistiu a um vídeo com as diferentes fases de construção do projecto, e, posteriormente, percorreu os vários espaços do empreendimento, considerado estratégico no quadro da navegação aérea e ao nível económico, uma vez que contribuirá com receitas no crescimento sustentável do país.

O Chefe de Estado, acompanhado de perto pelo ministro dos Transportes e de técnicos angolanos e chineses directamente ligados ao projecto, apreciou as duas pistas do novo aeroporto, uma declinada a sul, com 3.800 metros, e outra declinada a norte, com 4 mil metros, que dão a dimensão da grandeza operacional de integração de voos, em fluxos quase imediatos, a ser testemunhada em breve, quando entrar em funções. Juntas, as pistas, vão permitir a descolagem e aterragem de aviões de grande porte, como A380, considerado, até agora, a maior aeronave de passageiros do mundo.

Antes de encerrar a visita, o Presidente da Republica voltou a reunir, à porta fechada, com o ministro de Estado para a Coordenação Económica, os ministros dos Transportes, Energia e Águas, Obras Públicas, incluindo os responsáveis directamente ligados à obra, a quem deixou, provavelmente, recomendações. Em declarações à imprensa, no final da visita, o ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, disse que a obra se encontra numa fase de consolidação, e defendeu o asseguramento das  fontes de financiamento para a conclusão do projecto.

Pela imponência do projecto, que envolve muitos contactos, Ricardo de Abreu referiu, a propósito, os constrangimentos financeiros provocados pela pandemia da Covid-19, que limitaram o andamento de execução da obra.’”Estamos numa fase de consolidação, a velocidade de cruzeiro”, pontualizou o ministro, tendo feito saber que a conclusão da obra está prevista para o primeiro trimestre de 2023”.

Processo de Certificação

Para permitir a operacionalização do novo aeroporto internacional até ao final de 2023, bem como proceder a sua abertura às diferentes companhias aéreas que pretendam operar de e para Luanda, o ministro dos Transportes anunciou, para Junho do próximo ano, o início da fase de certificação do mesmo.

Segundo Ricardo de Abreu, o processo de certificação contará com o apoio e suporte da ICAl, órgão reitor da Aviação Civil Internacional, cuja chancela vai permitir, como é prática, Angola colocar o novo aeroporto internacional de Luanda na rota  de destaque de voos internacionais.

Acrescentou que com o início do processo de certificação, vai ocorrer, também, “o primeiro voo-teste”, em Junho deste ano, para garantir a aceitação final do projecto. O ministro Abreu não especificou o tipo de equipamento (avião) que vai pousar, pela primeira vez, o “chão” do novo aeroporto, mas salientou que o mais importante será iniciar o processo de certificação, nos padrões exigidos pela segurança aeronáutica internacional.

A propósito, Ricardo de Abreu anunciou que o processo de certificação do aeroporto internacional da Catumbela, na província de Benguela, já está em curso, tendo adiantado que no decurso deste ano estará concluído.

Em relação ao orçamento do novo Aeroporto Internacional de Luanda, o ministro referiu que o limite para a conclusão do projecto conseguido pelo Executivo, em 2018, ronda os mil e quatrocentos milhões de dólares. Até ao momento, o nível de execução financeira anda à volta de 40 por cento do valor.

“Precisamos de continuar a execução financeira, para que o ritmo da execução física não pare”, esclareceu. O ministro dos Transportes disse que estão previstas, também, a existência de um conjunto de infra-estruturas de suporte à actividade do aeroporto, que  serão executadas pelo sector privado.

O ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, assegurou que, com a entrada em funcionamento do novo Aeroporto Internacional de Luanda, o actual Aeroporto 4 de Fevereiro não será desactivado, e continuará aberto à recepção de voos executivos e charter.

Em relação às vias de acessibilidade ao novo aeroporto internacional de Luanda (metro de superfície, comboio e vias rodoviárias), o ministro dos Transportes respondeu que existem  projectos em execução, quer ao nível ferroviário, quer  ao nível rodoviário. Neste aspecto, alertou sobre a necessidade de mudança de hábitos comportamentais dos condutores, para uma melhor regulação de trânsito, permitindo, futuramente, que o percurso rodoviário, desde o Largo da Independência, até ao novo aeroporto, seja feito em pelo menos 1 hora e meia.

Leave a comment

Your email address will not be published.