Sector dos Transportes investe 14 mil milhões de dólares até 2023

O secretário de Estado dos Transportes para a Aviação Civil, Marítima e Portuária, Carlos Borges, disse, no Dubai, que o sector tem uma projecção lançada para os próximos 20 anos, num investimento de 14 mil milhões de dólares até 2023.

Segundo o governante, este mesmo projecto, que se iniciou em 2018 e vai até 2038, prevê que entre 2018 e 2023 sejam efectuados investimentos no valor de USD 14 mil milhões, do qual parte foi já executado e outra parte está ainda em fase de estudos e de captação de parceiros.

“Grande parte dos investimentos no país tem sido feito pelo Governo. Queremos alterar esse quadro. Pretendemos que o sector privado participe nestes desafios, partilhe os riscos e tire o máximo de proveito nos benefícios que daí decorrem”, disse.

Por outra, o secretário de Estado adiantou que, de 2024 a 2028, se estima investir mais 9 mil milhões de dólares e para 2029 até 2038 outros 1,8 mil milhões.

Conforme detalhou, estão previstos investimentos de mais de 37 mil milhões de dólares a razão de 1,4 mil milhões de dólares anualmente, durante cerca de 20 anos de execução.

Em termos de sectores, os caminhos-de-ferro surgem na dianteira, tendo o Governo gasto no sector, nos últimos anos, mais de 3 mil milhões de dólares e agora procura realizar a interligação entre todas as linhas e também apostar em ramais que liguem à Zâmbia juntamente com outros parceiros e países.

Também há uma forte aposta na cadeia de plataformas logísticas, por tratar-se de um domínio através do qual se pretende fazer chegar a produção dos campos às cidades.

Carlos Borges disse que é preciso a experiência, tecnologia e conhecimentos do sector privado para tornar real todos os planos em vista para os Transportes em Angola, levando a que o país possa também exportar bens e serviços para outros mercados. O fórum, realizado no Pavilhão de Angola na Expo 2020 Dubai, é de iniciativa da AIPEX em colaboração com a plataforma Bloomberg.

Leave a comment

Your email address will not be published.