Startups africanas apostam na transformação digital na saúde

Na última edição da Web Summit, a startup etíope foi a grande vencedora, de entre 700 participantes, da competição PITCH promovida pela multinacional KPMG.

O trabalho desenvolvido pela Labibela Global-Networks foi considerado de relevância excepcional para a transformação digital do sector da Saúde no Leste de África. O projecto, que deu o primeiro lugar na competição à Labibela Global-Networks, designado ABAY-CHR, e que se iniciou em 2019, tem por objectivo a digitalização dos processos de gestão hospitalar. O ABAY-CHR permite a simplificação dos procedimentos hospitalares e tem, comprovadamente, melhorado a qualidade do atendimento prestado pelos hospitais.

Desde que começou a ser implementado, o ABAY-CHR já permitiu digitalizar 1,2 milhões de registos de pacientes. Wuleta Lemma, co-fundadora e CEO da Lalibela Global-Networks, sublinhou, ao receber o prémio, que a pandemia só veio dar ainda mais ênfase à importância do trabalho que tem sido realizado. “A Covid-19 mostrou a importância de termos registos médicos seguros, o que, para mim, deveria ser um dos direitos humanos essenciais”, afirmou.

Mas, a Labibela Global-Networks está longe de ser a única start-up do continente africano cujo trabalho inovador tem vindo a ser reconhecido internacionalmente. Também a start-up angolana ‘Appy Saúde’ foi recentemente premiada, na categoria de eHealth, durante a conferência interncional ITU Virtual Digital World 2020, realizada em Outubro passado, organizada pela International Telecommunication Union, a agência das Nações Unidas para o sector das Telecomunicações.

A Appy Saúde desenvolveu uma aplicação móvel, disponível desde 2017, que permite aos seus utilizadores reservarem medicamentos e encomendarem produtos farmacêuticos não sujeitos à receita médica, marcarem consultas e aderirem a seguros de saúde. A aplicação permite ainda que os seus usuários identifiquem a farmácia mais próxima, os melhores preços e a disponibilidade dos medicamentos.

Neste momento, o aplicativo da Appy Saúde dá acesso a mais de 1500 farmácias, 320 clínicas privadas e 275 hospitais públicos em Angola. De acordo com notícia prestada pela Disrupt Africa, a startup angolana pretende expandir as suas actividades para outros países do continente, nomeadamente: África do Sul, Rwanda, República Democrática do Congo e Namíbia.

Leave a comment

Your email address will not be published.