Monday, May 16, 2022

Trigo e carnes entre os produtos mais importados

As companhias angolanas de navegação marítima movimentaram, durante o primeiro trimestre deste ano, mais de um milhão de toneladas diversas de mercadorias, segundo o boletim estatístico da Agência Reguladora de Certificação de Carga e Logística de Angola.

Para o organismo afecto ao Ministério dos Transportes, as 10 mercadorias mais importadas foram o trigo e a mistura de trigo com centeio (10 por cento), carnes e miudezas frescas de aves, contentores de transportes de fluídos e carne suína (5,0), milho, granito e outras pedras (3,0), arroz, açúcar e adubos (2,0).
Ainda, de acordo com o documento enviado ao Jornal de Angola, no primeiro trimestre de 2021, foram certificados para embarque 2 694 veículos, que tiveram como principal porto de desembarque o de Luanda, com 99 por cento dos veículos (2 678), seguindo-se Lobito e Cabinda (com sete veículos cada) e, por fim, o Namibe (com duas unidades).
Dos certificados de embarque emitidos para as importações de automóveis, diz a ARCCLA, observou-se que aparecem com maior volume de veículos certificados as empresas  como Chinangol, Lda, mais de 500 veículos, Sicomex Lda, cerca de 300 e o Ministério dos Transportes com 170 veículos. Constam ainda no controlo a Sogepower e a Toyota de Angola, num percentual de 21,9 por cento.
Neste período, cerca de 80 por cento das viaturas que desembarcaram em Angola   tiveram como proveniência países como China, Emirados Árabes Unidos, Bélgica, Coreia do Sul e Brasil.
Dos mercados de importação automóvel, a China lidera com uma quota em volta de 29 por cento, que representa 807 automóveis,  seguido dos Emirados Árabes Unidos, com 19 por cento e com cerca de 599 automóveis. A Bélgica aparece com 17 por cento (413 automóveis).
A companhia MSC tomou a primeira posição entre as maiores transportadoras marítimas de Angola. Nas posições subsequentes apare-cem a NileDutch, PSL, CMA, CGM, UAL e a SEATRADE.
Ainda de acordo os registos do I trimestre, baseados nos certificados emitidos pela ARCCLA, a Nile & Victória General Trading Lda foram as empresas com maior volume de cargas certificadas para a importação, atingindo 205 milhões e 586 toneladas e  percentagem de 14 por cento do total da carga consignada.
A Carrinho Empreendimentos SA segue-se com sete por cento, Moagens de Angola (5,0), Falco  (4,0) e a Baker Petrolite (3,0 por cento).
Estes  cinco maiores importadores são responsáveis por mais de 30 por cento da carga certificada para a importação. No trimestre em análise, a companhia MSC tomou a primeira posição entre as maiores transportadoras marítimas de Angola.

Por outro lado, o relatório explica que o mercado em que mais se recorreu para importar foi a China. Tem um registo de quase 200 mil toneladas, representando cerca de 14 por cento da carga para a importação, seguido do Brasil, Portugal e França com cinco por cento. Está ainda no controlo a África do Sul com quatro por cento na lista dos mercados de maior afluência.
A Turquia ocupou a primeira posição nas exportações, com registo de 9 200 toneladas para aquele país. Portugal segue com cinco mil toneladas e a China com três mil.

Leave a Reply

Your email address will not be published.